Albatroz: voando sobre os mares!

Quero ajudar um pet de rua, e aí?
Novembro 16, 2016
Já ouviu falar dos gatos Munchkin?
Novembro 18, 2016

Albatroz: voando sobre os mares!

Normalmente, em um olhar rápido, eles são confundidos com gaivotas, mas são espécies bem diferentes. Os albatrozes (Diomedea spp) são aves oceânicas que flutuam, praticamente imóveis no ar, quando de repente fazem uma manobra quase acrobática, mergulham e voltam com um peixe na boca. Albatrozes vivem em mares e ilhas do oceano Atlântico Sul e se distinguem das gaivotas pelo tamanho, pelo bico grande e forte e pela plumagem que varia de coloração, desde o branco, até o negroazulado ou pardo. Existem cerca de 21 espécies no mundo, mas a espécie Diomedea exulans é considerada não só a maior espécie de albatroz, mas a maior ave marinha do mundo com 3,5m de envergadura nas asas.

Alimentam-se principalmente de peixes, polvos e lulas, mesmo mortos, originados do descarte de navios pesqueiros, por isso sobrevoam regularmente as embarcações em busca de alimento. No mar, alimentam-se também de zôoplacton, que são aqueles organismos microscópicos que tem baixa capacidade de locomoção, sem atividade de fotossíntese e são arrastados pelas marés, como os microcrustáceos.

Os albatrozes são aves marítimas coloniais, que fazem ninhos geralmente em ilhas isoladas. As colônias variam desde agregados muito densos, com muitos indivíduos até grupos menores com ninhos individuais e bem espaçados uns dos outros. Uma curiosidade é que os albatrozes são “filopátricos”, ou seja, eles voltam ao ninho onde nasceram para procriar, bem na linha “o bom filho a casa torna” !!!   albatroz-2

Os albatrozes atingem a maturidade sexual ( a fase onde já possuem os aparelhos reprodutores desenvolvidos) tardiamente, com cerca de cinco anos de idade, mas mesmo depois de atingirem a maturidade, só vão efetivamente acasalar depois de alguns anos (mais de 10 anos, em algumas espécies). Os albatrozes jovens, que ainda não preparados para acasalar, retornam por vários anos às colónias onde nasceram apenas para praticar os elaborados rituais de acasalamento e as danças pelas quais essas aves são famosas.

Em todas as espécies de albatrozes cabe tanto ao macho quanto a fêmea a incubação do ovo, alternando-se em turnos que podem variar desde um dia a três semanas. A incubação dos ovos dura entre 70 a 80 dias. Nenhuma ave tem um período de incubação tão longo. É um processo que pode ser particularmente exigente em termos de gastos energéticos, podendo os adultos perder cerca de 83 gramas de massa corporal por dia neste processo.

Preservar essas aves é fundamental. O Projeto Albatroz (http://projetoalbatroz.org.br) desenvolve pesquisas para subsidiar políticas públicas e a promoção de ações de educação ambiental junto aos pescadores e às escolas herbal weight loss supplements. Você pode contribuir com essa iniciativa, que promove a formulação de medidas que protegem as aves, a sensibilização da sociedade quanto à importância da existência dos albatrozes para o equilíbrio do meio ambiente marinho e o apoio dos pescadores ao uso de medidas para reduzir a captura dessas belas aves no Brasil.

Ajude a preservar essa e outras aves marinhas. E, como você já sabe, a melhor forma de preservar é conhecer.

            Até a próxima!!!!!

(Fotos: Internet)

Foto claudio para coluna no site pronta       Claudio Machado – Biólogo

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *